quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Como o vegetarianismo me ajuda a lidar com o T.A

Não, não é uma dica de como lidar com um transtorno alimentar. É o relato de uma experiência pessoal. Mariazinha, que tinha predisposição a desenvolver anorexia, pode ter virado vegana aos 17 anos e manifestado os primeiros sintomas de anorexia na mesma época. Joaninha pode ter usado o veganismo como dieta, para tentar controlar sua bulimia. Isso pode confundir os profissionais, como a psicanalista Cibele, que deu entrevista na Globo [clique aqui para ler sobre], pode confundir os pais, os amigos e a população em geral. Mas, felizmente, existem muitas pessoas que podem falar a respeito e esclarecer o assunto, que é o que tem acontecido nas redes sociais. É isto que também pretendo com o meu relato.

Há pouco menos de um ano cortei a carne da minha alimentação. Mais recentemente cortei também o ovo, leite e seus derivados. Ainda como ovo caipira... E comeria um bolo ou um curau preparados com um leite tirado na hora. Isso porque o problema não está no consumo dos alimentos em si, mas sim no modo como os animais são tratados (ou melhor dizendo, maltratados, escravizados) para que sejam feitos tais produtos. Sim, é uma questão ética. Você pode não se importar e dizer que não vou salvar nem mudar o mundo alterando o meu cardápio. Mas eu digo a você: foda-se! Não vou ser conivente com esta por** toda! Fico, realmente, revoltada, e é aí que entra a minha explicação sobre como o vegetarianismo tem me ajudado a lidar com um transtorno alimentar que, entre altos e baixos, enfrento há longos 15 anos. Para não falar da depressão... Mas terei que falar dela também! Não existe nada no mundo que me faça querer morrer mais do que ver ou ouvir sobre barbaridades contra os animais. Fêmeas de todas as espécies estupradas, cães queimados e enterrados vivos, abatedouros clandestinos ou não... Eu poderia fazer uma lista de chorar e cortar os pulsos, mas não é necessário. Todo mundo sabe e prefere não ver, esquecer ou não pensar sobre. Não vou criticar o nível de consciência das pessoas e seria sensato se não criticassem o meu, como se eu fosse uma radicalzinha tola. Cada um com sua consciência, não é mesmo? "Sqn", ainda mais quando você tem um transtorno alimentar... Profissionais de saúde e familiares muito provavelmente vão te dizer o que me disseram: seu vegetarianismo é só mais uma desculpa para restrição alimentar. 

Seu cu! Preciso dizer isto porque os transtornos mentais dificilmente tem voz, num mundo onde médicos e psicanalistas são deuses. Que encham seus cus de carne, não vou protestar... Mas não vou encher o meu. Meu vegetarianismo não me faz querer morrer a cada garfada às custas de muita crueldade. Eu não penso mais em calorias, proteínas e carboidratos. Se Joaninha encarou o veganismo como uma dieta, eu sinto muito por ela... Necessita urgentemente da ajuda de profissionais gabaritados. E olha só, Joaninha, quero te dizer que não emagreci cortando estes alimentos... O peso que tirei foi das minhas costas. Eu tenho certeza de que o veganismo é o meu caminho para a cura do T.A. O meu caminho. Não posso dizer que sou vegana porque ainda consumo produtos testados em animais e tenho, por exemplo, as minhas botas de couro... Mas precisei começar por algum lugar e urgia ser pela alimentação. Foi assim que encontrei um modo de me alimentar, em todos os sentidos, de vida. Sempre, depois de um bom prato, eu dizia a mim mesma que era uma gorda. Colocava a culpa no lugar errado, como se o crime se voltasse contra o criminoso. Por isso cortar apenas a carne não estava sendo suficiente... Na última semana cortei também ovo, leite e seus derivados. Sem dúvida precisarei cuidar para fazer as substituições adequadas. Estou aprendendo aos poucos... Mas o principal é insubstitutível: esse sentimento de libertação. Libertação animal... porque eu também sou um.

Finalizo meu relato com a indicação de um livro: "Acertos abolicionistas: a vez dos animais", de Sônia T. Felipe, ed. Ecoânima.


"NUNCA, MAS NUNCA, A NATUREZA SEGUIU UM CAMINHO E A SABEDORIA, OUTRO."
Edmund Burke




1 comentários:

Lara Fim disse...

Morro de medo de engordar tenho anorexia nervosa preciso emagrecer mais help!!!