quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Mais um Arquivo da Resistência - desafio


Complemente esta Arte da Gabrielle Tosi com um texto bacana em prosa ou poesia e compartilhe conosco aqui no Dia de Amar Seu Corpo.

A proposta é transformar o concreto (como esta porção cápsulas) em simbólico (a palavra, o poema)!!! INS-PIRE-SE!!!




Todos os textos serão publicados no blog, desde que sejam da resistência, ou seja, desde que não façam apologia a nenhuma prática prejudicial à saúde!!!

13 comentários:

Anônimo disse...

Pílulas para emagrecer, para dormir, para acordar, para estudar, para ter forças, para reprimir o meu instinto primitovo da fome, para despejar oque entrava, para ser um zumbi.
Quem eu vi por tanto tempo no espelho? Que figura era aquela que destruí com tanta força, estando do outro lado do espelho?
Pílulas, durma, acorde, ande, não coma despeje o que há de ruim, o que há de sujo, o que te apodrece. Apodrece? Não.
Tantas horas parada olhando cada centímetro, tantas horas, dias semanas, tentando consertar o que nada tinha de errado. Eu estive partida, em tantos milhões que talvez não pudesse recolher.
Poderiam pílulas conter amor, auto-estima, aceitação. Poderiam também contar surdez ao que escutamos por toda uma vida. Poderiam pílulas conter moléculas milagrosas que recolhessem nossos pedaços e assim, depois de sofrer tanto, faríamos de tudo para não partimos outra vez.


___________________

Que martírio! Pílulas para acordar, dormir, emagrecer, não comer de forma alguma, acelerar um tanto de coisas.
Pílulas que deveriam em alguma forma mágica amor, aceitação, auto-estima.
Pílulas que não destruam, mas ajudem a construir.
Não inventaram mas continuamos com a esperança de não precisarmos nem mesmo das pílulas mas da nossa capacidade em nos aceitar.
Mas pessoas também são pílulas, o mal que algumas fazem, outras remendam, basta saber amar também.

Anônimo disse...

Pílula do amor, do calor, da aceitação.
Rejeito aquela que machuca a alma e causa destruição.
Pílulas para ajudar na depressão, não na degradação do corpo
Porque se somos capaz de destruir, somos capazes de construir
Ainda que leve mais tempo, e com outros tipos de pílulas.
Que iniciem a pílula do amor, do amor-próprio do amor ao próximo.
Que haja uma pílula, mesmo imaginária para todas as dores.
O que a ciência não descobre o homem de bom coração inventa.
Que haja pílulas para o amor.

martinealison disse...

je serais incapable de fabriquer un coeur à base de pilules... j'évite de prendre de tels médicaments.
En revanche s'il existe des pilule pour aimer mieux, j'achète!
Gros bisous

Lucy disse...

Muitos continuam a acreditar em um falso amor

Afirmam ser um tipo de amor que promete “ alívio “ quase instantâneo para todas as suas dores e decepções

Mas como isto poderia ser considerado AMOR ?

Como seria possível um sentimento tão puro nos atrair para depois nos TRAIR e MATAR, sem medir esforços ?

Abra os olhos, isto NÃO é amor !

O amor verdadeiro te RESPEITA e sempre visa o seu BEM-ESTAR

E este sim é o genuíno amor próprio, aquele que contribui com a continuação da sua vida, e não com a sua destruição.

Lucy Cantizano

Natalia Bonfim disse...

Poema institucionalizado

cheguei causei gritei
internei dopei fumei cheguei causei gritei internei dopei fumei
cheguei causei gritei internei dopei fumei cheguei causei gritei internei dopei fumei


Poema desinstitucionalizado

amei

Anônimo disse...

me conceda pílulas para aceitar o que não poço mudar, mais pílulas para mudar o que posso e um arsenal para não fuder tudo com muita frequência

Anônimo disse...

*posso

Delicatessen. disse...

Agora,minha terapia de choque:
"Se tomar alguma coisa, perde o tratamento!"

Agora, meu choque de realidade:
"Como faço pra esvaziar as pílulas que ficaram na minha cabeça, assim como esvaziei as que ficavam no armário?"

Depois, ou agora, a realidade em choque terapêutico:
-Se quero ficar com minhas delicadezas, flertar com todas elas, há de se ter uma fissão bem no núcleo. Minha delicadeza nunca entendeu essa linguagem química toda. Elas nunca ragiram. Ficam em uma solução heterogênea com precipitado no fundo: eu.

Meus amores, meus afetos, as pequenices delicadas dos meus afetos. O que sai de toda essa reação.
Quero poder me tornar homogênea com tudo isso que é VIVO.

Em uma língua ancestral, composta só de sussurros, digo então que prefiro a Delicadeza à Química. Em outra língua mesmo, ninguém há de saber, de segredo vivem todas as grandes descobertas.

No futuro,(H-O-J-E), o choque da terapia:
-Porque, em matéria de corpo, o meu não se basta, não cabe em mim.
Não sou vazia como a amarga essência das pílulas engolidas a seco, com um pigarro revoltado, a primeira logo de manhã. "E que eu não esquecesse das outras, cabeça de vento!!"
Corpo, delicadeie-me, por favor.

No mesmo número infinito de delicatas quanto os de pílulas que a Química me proveu já desde menina.

Escolher o amor não é fácil.

Anônimo disse...

Tenho um coração de pílulas, para abrandar as tempestuosas mudanças da vida.
Mas é certo que não quero pílulas no meu coração.
Limpo e puro
Claro e cristalino
Quimicamente livre.

Anônimo disse...

E tive meu eu espedaçado em zilhões de pedaços, como se eu fosse um pote de pílulas jogadas ao vento.
Pensei ser o fim de mim.
Começou então uma revolução, eu me tornei meu centro, e como um imã, meus pedaços até então em cápsulas ao longo do mapa começaram a se aproximar.
Foi quando percebi que quanto mais me amasse, e me aceitasse, mais de mim eu teria. Ao fim do processo, nem todas as cápsulas 'de mim' se aproximaram, mas meu eu pôde ser composto no formato de um coração e as que ainda estão um pouco afastadas, puderam traduzir e escrever "amor".
Elas estão vindo.
Eu me tenho através do meu amor-próprio.

Viviane disse...

Droga de vida

Engula as drogas... para que seu futuro mude.
Engula e vá adiante, não temas.
Se os outros notarem em teus olhos o medo ou o desapontamento,
se dentro de ti habitar um segredo
guarda-o contigo e siga.

Abandone tudo, deixe para trás
as ervas daninhas que se grudam em teus pés
pisa firme, vista-se como não és
encha tua bagagem com tua fúria contida, com tua humilhação dolorida
e vá, vá sem deixar rastros.

Eles ensinaram a ti que os valores importam
mas agora estás com fome, com sede, sozinha e onde estão eles?
Estão em casa, esperando para devorar tua comida, tua bebida
embebedarem-se de teu desânimo, desalento.

Prepare tudo, coragem.
Engula as drogas e mude de vida.
Afinal, não estás engolindo drogas a tua vida inteira?

Anônimo disse...

Uma overdose...

De amor, por favor

Anônimo disse...

Para amar não é preciso muita coisa, basta querer! A opção está em suas mãos.

Nara Miranda Guimarães