sexta-feira, 8 de abril de 2011

As Twiggys* que me perdoem, mas os homens preferem as Marilyns

por Claudia Franco

Hoje mais do que nunca estou convencida de que as mulheres gostam de ficar magras para agradar ou fazer inveja para as outras mulheres.

A indústria da moda nos impôs um padrão de beleza que é humanamente injusto e totalmente fora do padrão real das mulheres que circulam pelas ruas no mundo inteiro.

 

 

Ser eternamente magra e jovem é viver eternamente em uma prisão onde a tortura psicológica e emocional é o prato principal de todas as refeições.

 

As mulheres sucumbem diante das deusas estampadas nas capas de revistas. Mulheres magérrimas, sempre jovens, de pele perfeita, cabelos impecáveis e olhos e dentes brilhantes.

 

Assim como a lei obriga os fabricantes de cigarros a colocarem as fotos de pessoas com doenças causadas pelo fumo nas embalagens, também deveriam obrigar as revistas a colocarem algumas das fotos, em seu estado natural, sem a edição dos softwares que transformam a casca da laranja na seda mais lisa jamais vista.

 

Quem conhece os softwares de tratamento de imagens sabe que é possível fazer de tudo – ou quase tudo. Com estes softwares é possível melhorar a iluminação da foto – o que é muito importante para a estética geral do modelo – eliminação dos sinais da pele, correção de tom da pele, cor do batom, maquiagem, afinamento de sobrancelhas, redução dos sinais de idade na pele e das marcas do rosto, afinar ou engrossar pernas, tirar barrigas, contornar bumbuns e cinturas. 

 

Veja estes exemplos de edição. As modelos e atrizes são belas, mas não perfeitas como na edição, pois o efeito da edição produz um ser não real, uma ficção.

 

Na época de Marilyn estes softwares não existiam e acredite: até hoje os homens preferem as mulheres sensuais, com o corpo em forma, mas cheinho. Marilyn Monroe conquistou o mundo por sua beleza sedutora e suas curvas. É uma das mais famosas estrelas de cinema de todos os tempos, um símbolo de sensualidade e um ícone de popularidade no século XX.

 

Diversas pesquisas comprovam que só as mulheres gostam de mulheres magras. As mulheres que exageram na magreza querem impressionar o próprio gênero. A mulher se produz para a mulher. Não tem nada a ver com sexualidade, mas com aceitação, com reconhecimento entre iguais. Ser magra corresponde a ser aceita, a fazer parte do grupo das mulheres magras.

 

Já os homens preferem as mulheres com curvas e volumes.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de St. Andrews, na Escócia, revelou que os homens preferem mulheres com corpos normais a aquelas muito magras. O estudo foi realizado com um grupo de estudantes, que tiveram que classificar fotos do rosto de mulheres em relação à atração e saúde mostradas pela imagem.

 

Uma pesquisa americana também comprovou que os homens preferem mesmo as mulheres mais volumosas, mesmo sem ter consciência, eles ligam as curvas das mulheres mais carnudas a saúde e fertilidade.

Um outro estudo realizado no Canadá, mostrou que a insatisfação corporal e os distúrbios alimentares das jovens estão ligados com o que veem em revistas populares, e isso acabou se tornando um problema de saúde pública.

 

O mais preocupante é que no mundo inteiro há uma exigência fazendo prevalecer um padrão estético de beleza que não está em equilíbrio com a saúde, por isto muitas jovens desenvolvem certas patologias na busca da perda do peso. Essa busca causa o crescimento acelerado de distúrbios alimentares graves como bulimia e anorexia nervosa.

 

 Todos os estudos e pesquisas realizados até o presente momento mostram que o homem gosta de proporção, gosta do conjunto. A mulher pode ser mais gordinha ou magra, contando que agrade aos olhos, contanto que tenha outros encantos como ser atenciosa, carinhosa ou charmosa.

Para que não restasse nenhuma dúvida pedi a um grupo de amigos que definissem a beleza feminina. Eles  responderam:

Luiz Cavalli, artista plástico, 56 anos, de São Paulo, Capital. Beleza feminina: “Uma Mulher bem Brasileira e cheia de saúde com tudo grande….um mulherão….sem medo de ser feliz.!!!!!! E sem medo do peso… tipo mulher carioca…!!!!!!”
Alexandre Luis Konig, metrologista industrial, 38 anos, de Joinville, Santa Catarina. Beleza feminina: “Diria que 50% é beleza fisica, tipo não muito magra e nem muito gorda, mas com o peso ideal e de preferência com conteúdo (atributos femininos, rssss), e os outros 50% devem ser relacionados a bom papo e inteligência e muito carinho, uma mulher carinhosa é tudo de bom.” 
Marcelo Queiroz Ferreira Alves Junior, advogado, 28 anos, de Lauro de Freitas- Bahia. “Beleza feminina reluz com a sua postura e seus gestos. Encanta-me a mulher que com simplicidade reflete elegância.”
Augusto Gonçalves, fotógrafo, 40 anos, de São Paulo, Capital. Beleza feminina: “Agora é a parte difícil, dar uma definição para a beleza feminina. Difícil porque não há, na minha opinião, apenas uma definição. É um conjunto de coisas que torna a mulher bela. A beleza física e graciosidade feminina; a força para superar os desafios da vida e competir com os homens no mercado de trabalho; a inteligência e o sentimento na mesma proporção; são inúmeras as qualidades e as definições de beleza, mas todas as mulheres as têm.”

Acima de tudo isto deveríamos nos lembrar que a verdadeira beleza não está nos padrões impostos pela sociedade ou pela moda e sim nos olhos de quem a vê.


Enxergar a nossa beleza começa em nós mesmos. Se quando nos olhamos, não enxergamos nossa própria beleza, nenhuma outra pessoa irá enxergá-la. Precisamos antes de qualquer coisa nos amarmos muito, nos respeitarmos muito. Quanto conseguimos desenvolver o amor incondicional por nós mesmos a beleza brota de dentro para fora e nos tornamos bela para todos ao nosso redor, pois as pessoas passam a lhe ver como você se vê.

A beleza não tem prazo de validade, podemos ser eternamente belas e jovens, pois a beleza é um estado de espírito, é aceitação, é amor próprio.

*Twiggy Lawson, mais conhecida como Twiggy foi uma modelo, atriz e cantora britânica nascida na Inglaterra e considerada a primeira top model do mundo. Sua imagem quase andrógina, magérrima, pequena, com cabelos loiros muito curtos e imensos olhos realçados com camadas de rímel e cílios postiços, tornaram Twiggy o ícone dos anos 60.
  

Claudia Franco escreve para o blog CicloFemini - Mulheres que Pedalam

terça-feira, 5 de abril de 2011

Dia De Amar Seu Corpo no Maracatu


QUANDO: 09 de abril, sábado das 14h às 17h.
ONDE: E.E. Professor Antonio Alves Cruz
R. Alves Guimarães, 1511 esquina com Heitor Penteado, próx. metrô Sumaré, São Paulo.
 
----------
 
Todo dia é Dia de Amar Seu Corpo! Por isso estamos convidando-os para a aula aberta de Maracatu, onde você pode participar, dançar, tocar ou assistir à vontade este evento que ocorre todos os sábados e que é uma oportunidade ótima para levantar o astral!!! Se você também conhece algum lugar assim ou se gostaria de promover um Dia de Amar Seu Corpo especial, entre em contato!!!
 
Veja algumas fotos em:
Álbum estágio 2010
 
Atenção: este encontro não está sendo promovido pela escola nem pelo grupo Bloco de Pedra. O espaço da escola é aberto ao público aos fins de semana, pois é contemplada com o Programa Escola da Família. São todos sempre bem-vindos!!!