quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O que você faria com alguns quilos a menos?

Não sei se estou ficando louca ou se minha percepção está adequada, mas o que vi nesta campanha publicitária que apresenta um novo medicamento que promete eliminar até 30% da gordura ingerida foi um monte de mulher magra dizendo que se emagrecesse uns quilos faria isso ou aquilo. O que mais me chamou a atenção foi que não são mulheres de fato gordas que aparecem na propaganda... Se aquelas mulheres têm que emagrecer pra tomar banho na banheira acompanhada, oh God!, 95% das mulheres de meia idade da minha família e provavelmente da sua só podem se sentir um trapo mesmo.

O tempo todo somos invadidos por esse tipo de mensagem através dos meios de comunicação... Ontem, na sala de espera da minha psicóloga, eu estava folheando uma dessas revistas de fofoca e li que a Cláudia Jimenez disse ao Faustão num desses domingos que na TV os gordinhos não transam, não têm vida sexual... Ela está certa. Acho que foi em "Torre de Babel" que ela fazia par romântico com o Victor Fasano, não?, e em "As Filhas da Mãe" ela conquistou o Gianecchini – não costumo assistir novelas então não sei como esses relacionamentos eram apresentados, mas me parece que quando rola algum affair novelístico que envolve algum gordinho, geralmente é na base da sátira. Corrijam-me se estiver errada. Pra não dizer que é à base da pura zombaria mesmo. Pelo que soube, a saída da Claudia Jimenez daquele programa "Sai de Baixo" se deu também porque ela estava muito mal em razão dos "elogios" relativos a peso que sua personagem Edileuza recebia especialmente do Caco Antibes. Lembrei agora de um episódio de "A Diarista" onde a Marinete ia trabalhar num spa. Lamentei muito ter visto aquilo. Nunca vi tanta ridicularização na minha vida. O tempo todo os gordinhos sendo humilhados, inferiorizados...

Por essas e outras que, apesar de achar a Preta Gil um porre, tenho certa admiração por ela. Duvido que ela esperaria ter alguns quilos a menos pra fazer qualquer coisa na vida!

Voltando à história da propaganda sobre a qual comentei, é inegável que a repercussão desse tipo de mensagem na cabeça de crianças e adolescentes pode ser muito prejudicial. Daqui uns anos vamos ver nossos filhos muito mais noiados com peso do que o que já somos hoje e talvez nem percebamos mais a discriminação contra os gordinhos, na tv e à nossa frente, tão incorporados talvez esses conceitos estejam em nós.

Pra finalizar, lógico que dei uma olhadinha no site do CONAR (Conselho de Autorregulamentação Publicitária), e como não poderia deixar de ser já rolou pau na história daquela propaganda... Por ser produto vendido exclusivamente mediante prescrição médica, a divulgação em veículos de massa é vedada por lei, então não se pode falar o nome do medicamento na propaganda; de qualquer forma a agência deu um jeitinho convidando, ao fim, que o consumidor visite o site cujo endereço é o próprio nome do produto. Os acusadores também apontam que a estrutura do filme não disfarça discriminação contra pessoas obesas.

* Texto originalmente postado em 28/09/2004.

Joyce Peu tem 30 anos, mora em São Paulo e é psicóloga especialista em transtornos alimentares e obesidade. Teve transtorno alimentar não-especificado dos 15 anos até o começo da vida adulta e aos 22 criou o Grupo Sinto Muito.

3 comentários:

Luticar disse...

Texto genial, Joy!
Sabe, na época em que vi a propaganda tb me assustei pelo fato de colocarem mulheres com o peso normal.
Já fui extremamente encanada com meu peso e cheguei a fazer uma lista de coisas que eu me permitiria fazer quando emagrecesse.
Grande besteira... hoje estou longe do tipo modelo e ao ler a pergunta "o q vc faria com alguns quilos a menos" eu pensei: talvez entrasse de novo numa calça de número menor... mas isso não mudaria mais nada. Não deixaria de namorar, praticar esportes, comprar roupas, ir à festas com mais ou menos quilos, desde que eu me sinta saudável.

Bjão
esse texto arrasa, vou divulgar!

Insana disse...

Sexta é dia da mulher, todas as sextas a feminilidade esta nas alturas.

bjs
Insana

Roberta Montwiro disse...

O texto é mesmo genial, e você está LINDA na foto, Joy!